Reabilitação Neurológica Intensiva

Atualizado: 12 de abr.

O conhecimento hoje em dia em como recuperar uma lesão no cérebro é completamente inovadora quando comparada à décadas atrás. A reabilitação neurológica intensiva é capaz de reabilitar o sistema nervoso central e periférico afetado, que tem a grande capacidade de reorganizar e reaprender novas maneiras de trabalhar.

Paciente cadeirante praticando exercício de reabilitação neurológica.
As técnicas utilizadas são baseadas em pesquisas clínicas e conceitos neurofisiológicos.

Você já ouviu falar em Reabilitação Neurológica Intensiva?


Também chamada de Fisioterapia Neurofuncional, ela representa um conjunto de intervenções e de conhecimentos técnico-científicos que são destinados à prevenção e tratamento de disfunções no cérebro, tronco encefálico, medula espinhal, nervos periféricos e junções neuromusculares.


Bastante difundida no meio da fisioterapia, ela surgiu no final da década de 1940 com pesquisadores como Rood, Kabat e Knott, Brunnstrom e Bobath, sendo reconhecida pelo COFFITO (Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional) e com ações fortalecidas a partir de 2009 com a fundação da Associação Brasileira de Fisioterapia Neurofuncional (ABRAFIN), que visa disseminar e desenvolver estudos para aprimoramento da prática desta especialidade.


Alguns anos atrás, a Reabilitação Neurológica Intensiva era baseada apenas em informações de experiência clínica. Já hoje, partindo-se do conceito de neuroplasticidade, entende-se que o cérebro pode sempre se adaptar e se recuperar, sem importar há quanto tenha ocorrido a lesão neurológica. A neuroplasticidade vai permitir não limitarmos o potencial do cérebro para sua recuperação. As técnicas utilizadas são baseadas em pesquisas clínicas e conceitos neurofisiológicos provenientes de condutas de sucesso. Isso vem possibilitando o aperfeiçoamento de técnicas e uma reabilitação mais efetiva dos pacientes.


Esses pacientes que convivem com as sequelas e consequências de uma doença neurológica necessitam de acompanhamento médico (neurologistas, endocrinologistas, geriatras, cardiologistas,etc) para cuidar das comorbidades clínicas, prevenir novos eventos e desacelerar a progressão do quadro clínico, mas, complementar a isso, a Reabilitação Neurológica Intensiva vai efetivar o trabalho desses especialistas, restaurando a identidade pessoal dos pacientes e oferecendo bem-estar físico, emocional e também social do indivíduo.



Criança acompanhada de fisioterapeuta realizando reabilitação intensiva.
A Reabilitação Neurológica Intensiva foca na autonomia, bem-estar, independência funcional e reinserção do paciente na sociedade.

Qual a importância da Reabilitação Neurológica Intensiva?

A principal delas é habilitar os indivíduos que sofreram lesões no sistema nervoso central ou periférico a desempenhar suas atividades da vida diária da melhor forma possível, a readquirir sua independência através da restauração de seu desempenho físico fundamental. Em outras palavras, o principal objetivo é o bem-estar do indivíduo!

O foco no bem-estar tem um grande motivo. Pessoas com qualquer uma das condições neurológicas sofrem impactos negativos em diferentes esferas de sua vida, como no conceito social, pessoal e profissional. A limitação causada em suas vidas vai afetar também o emocional, uma vez que já não conseguem manter as atividades de antes, e isso gera conflitos tanto pessoais como para familiares e amigos que são mais próximos e precisam também se reorganizar em relação à rotina e responsabilidades para com os indivíduos queridos.

Por isso, a equipe multidisciplinar de Reabilitação Neurológica Intensiva vai focar na autonomia, bem-estar, independência funcional e reinserção do paciente na sociedade. E este é um trabalho que costuma demorar meses ou até mesmo anos. A equipe vai acompanhar todo o processo de recuperação do paciente até que cheguem no objetivo traçado por eles, e isso envolve bastante engajamento, comprometimento e confiança de ambas as partes, além de muito estudo e uma boa estrutura para realização dos exercícios.

O importante é que o programa de Reabilitação Intensiva seja desenvolvido com embasamento científico e uma visão de atendimento humanizado, integrando o paciente e os profissionais para um resultado positivo.


Com as técnicas aplicadas no programa, é possível alcançar os seguintes pontos:

  • Prevenir deformidades

  • Manter e aumentar a amplitude de movimento;

  • Melhorar o tônus muscular;

  • Tratar a espasticidade;

  • Melhorar habilidades cognitivas e de memória;

  • Melhorar a força muscular;

  • Melhorar as atividades funcionais;

  • Prevenir doenças pulmonares;

  • Diminuir e tratar a dor;

  • Estimular atividades rotineiras como a alimentação, o funcionamento da bexiga e do intestino, e o lazer;

  • Otimizar a qualidade de vida do paciente

  • Orientar o paciente e familiares sobre os tratamentos e condições.

Equipe multidisciplinar realizando reabilitação intensiva em criança com mobilidade reduzida.
A Reabilitação intensiva auxilia na realização de atividades rotineiras como a alimentação, regulagem digestória e lazer.

Para quem é indicada a Reabilitação Neurológica Intensiva?

O fisioterapeuta neurológico e o educador físico vão atuar em condições onde haja disfunções no cérebro, tronco encefálico, medula espinhal, nervos periféricos e junções neuromusculares. Podemos citar alguns exemplos como:

  • Alzheimer;

  • AVC (Acidente Vascular Cerebral);

  • Parkinson;

  • Hidrocefalia;

  • Derrame cerebral;

  • Paralisia cerebral;

  • Esclerose múltipla;

  • Traumatismo cranioencefálico;

  • Síndrome de Down;

  • Paraplegia;

  • Tetraplegia;

  • Lesão medular;

  • Alterações posturais e funcionais;

  • Neuropatia Diabética/Polineuropatia e Hemiplegia;

  • Vertigem posicional paroxística benigna;

  • Encefalopatia crônica não progressiva.

Mulher cadeirante, confiante realizando exercício de reabilitação intensiva.
A evolução emocional acontece com diminuição da ansiedade relacionada à recuperação e reabilitação.

Técnicas utilizadas na Reabilitação Neurológica Intensiva:


Após avaliação de quadro, de marcha e funções, atividades de vida diária, uso de órteses, entre outros, utilizam-se exercícios voltados ao fortalecimento e ao alongamento dos músculos, treinos de equilíbrio e demais estímulos para restabelecimento sensorial, orientações quanto aos posicionamentos e mobilizações, exercícios de estabilidade articular e força associados ao controle central, e demais técnicas e especialidades para melhora do quadro, como:

  • Eletroestimulação | XBody

  • Hidroterapia Funcional

  • Musculação Terapêutica

  • Pilates Terapêutico

  • Reabilitação Cardiorrespiratória

  • Treino de Marcha | Sistema BrainMov


Diante do tratamento com Reabilitação Neurológica Intensiva, focado na autonomia pessoal e na melhora do quadro de lesões neurológicas, e com aplicação de técnicas por profissionais capacitados, os pacientes relatam melhorias nítidas na capacidade funcional, seja relacionada ao movimento, aspectos sensoriais ou capacidades cognitivas. Além disso, o reflexo chega também no quadro emocional, com diminuição da ansiedade e da preocupação relacionada à recuperação e reabilitação.


A melhora do bem-estar geral é a marca da Reabilitação Neurológica Intensiva e, juntamente com a máxima reinserção na sociedade possível, ela torna-se imprescindível para aqueles que sofrem com alguma lesão neurológica.


__________________________________________________________________________________


Esse conteúdo foi útil para você? Deixe seu comentário ou dúvidas para continuarmos falando sobre a reabilitação neurológica intensiva e seus benefícios.



#reabilitacaointensiva #fisioterapia #sistemabrainmov #reabilitacao #saude #qualidadedevida #bemestar #saudeemevidencia #sjc #saojosedoscampos #sjcampos





19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo